REAGE – uma idéia valiosa

Viu esse texto abaixo sobre o Google? Eu recebi do Jônatas Usevicius, que é diretor geral do Portal do Condutor – www.portaldocondutor.com.br – e participa do REAGE – Rede de Estudos Avançados em Gestão Empresarial, um grupo que eu tenho o prazer de participar também.

O REAGE nasceu como um grupo virtual de discussões, troca de idéias, textos, opiniões e muito networking, e justamente nessa fase da conversa ele começou a deixar de ser virtual e passou a ser bastante real. Já foi realizado um happy-hour do grupo para que as pessoas possam se conhecer no mundo real, e está em processo de gestação um encontro para prática do inglês, um encontro em que as pessoas somente poderão conversar em inglês para praticar seus anos de CCAA e Fisk (se bem que eu sou ex-aluno e ex-professor do Yázigi, mas enfim…).

Se interessou pelo REAGE? Eu recomendo muito, porque é um grupo riquíssimo e que já me ajudou bastante com textos, dicas e inclusive com alguns contatos que geraram bons negócios e boas parcerias. Então se você quer participar, eis os caminhos:

REAGE na WEB:
Blog corporativo: http://www.reagindo.com
Comunidade no Orkut: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=22408685
Comunidade na Via6: http://reage.com.via6.com

REAGE – Rede de Estudos Avançados em Gestão Empresarial
Para postar neste grupo, envie um e-mail para reage@googlegroups.com
Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para reage-unsubscribe@googlegroups.com
Para ver mais opções, visite este grupo em http://groups.google.com.br/group/reage

 

Então vem pra junto desse grupo poderoso de executivos e executivas, profissionais de alto quilate que se encontram no éter virtual para fazer o mercado de trabalho um lugar melhor. Você vai ser muito bem vindo(a)!

 

Há braços!

Eduardo Mesquita

Ambiente de trabalho, uma aula no Google

Você que está no seu trabalho agora, neste exato momento, faça uma experiência: olhe em volta. Gosta do que vê? Talvez não seja do seu agrado, mas repare nas condições do seu trabalho, equipamentos, iluminação, móveis e detalhes em geral; detalhes esses que influenciam diretamente sua produtividade e sua satisfação em estar aí trabalhando e gerando resultados constantemente. Alguns teóricos chamam esses detalhes de “ambiência”, por se tratar de uma forma racional de pensar o ambiente em que o ser humano é colocado.

Pois avalie a ambiência do seu local de trabalho. Muitas vezes alguns detalhes nos passam despercebidos, tanto positivos quanto negativos, mas para auxiliar a sua análise leia o texto e veja as fotos a seguir. O editor do Gadgetoblog do Diário El Mundo, visitou os escritórios do GOOGLE em Zurique (Suiça) e fez essas fotos, registros de um ambiente estimulador, vibrante e vivo, algo que muitas organizações tem urgência em aprender. 

O tobogan liga a zona de escritórios do primeiro piso com a cafetaria e o ginásio.

Para descer para comer não tem que esperar pelo elevador. Aos recém-chegados a praxe é que eles desçam pelo tobogan para apresentá-los. Tem que usar, também, um ridículo sombrero de cores durante algumas horas.

A cafeteria serve o pequeno-almoço, almoço e jantar preparados por cozinheiros contratados exclusivamente para o edifí­cio. Há comida para vegetarianos, dois pratos  principais, um buffet de saladas e toda a comida se faz com ingredientes nacionais.

As crianças são bem-vindas e não é estranho que os “Googlers” vão trabalhar acompanhados dos filhos. A boa comida grátis e os lanchinhos entre refeições sempre fazem ganhar uns quilitos aos recém-chegados que não estão habituados a tantas e deliciosas iguarias. O ginásio do piso térreo é o lugar para queimar o peso a mais. Por acaso, também é grátis.

A sala de massagem (foto ao lado) é quase um santuário. As cadeiras que massageiam são gratuitas, mas as massagens dadas pelo massagista são pagas, mas como o Google participa com a maior percentagem, são muito baratas. Em certas cabines assinaladas existem bônus de massagens grátis diariamente.

Em cada piso há, pelo menos, 2 áreas de descanso com comida e bebida por acaso, grátis. Refrescos, sucos e café, muito café, mas também cereais, chocolates, gelados, batatas fritas, fruta e uma ampla seleção de snacks saudáveis para compensar o excesso de hidratos de carbono.

Cada um administra o seu tempo e os seu trabalho como quer. Não há horários e nas pausas pode-se jogar jogos interactivos ou bilhar, por exemplo (na foto a galera destruindo num Guitar Hero rockíssimo!). Os prazos de entrega, esses sim, tem que ser cumpridos, logicamente.

Esta barra, semelhante às dos quarteis de bombeiros, liga o segundo piso à sala de jogos. Não tem que esperar pelo elevador para se divertir uns minutos.

O espaço de trabalho é pequeno, mas as salas de reunião são muito amplas e temáticas.  Esta cabine  da foto acima é de um teleférico verdadeiro e está situada num piso decorado com fotos e objetos que lembram uma estação de esqui nos Alpes.

A esta altura deve estar se perguntando se no Google se trabalha mesmo. Esta é uma área de escritórios convencional. Os postos de trabalho são livremente escolhidos e não é raro que os “Googlers” mudem de local de trabalho frequentemente.


O serviço técnico está numa área do edifí­cio decorada com ambiente hawaiano. Aqui se pode vir buscar um cabo ou arranjar um laptop..

As áreas de trabalho são sempre abertas. Para ter privacidade durante uma chamada tem que “fechar-se” numa das muitas cabinas espalhadas pelo edifí­cio.


O salão da água é uma zona de paz e relaxamento que existe no edifício. Há cadeiras de massagem e a iluminação é mí­nima. É o lugar ideal para dormir uma sesta ou descansar antes de uma reunião. Por isso, É proibido usar o celular ou o computador portátil. A única actividade possí­vel, além de descansar, é observar os peixes tropicais que estão nos aquários de parede.

As salas de reuniões do edifí­cio tem nomes tirados de séries de televisão e de filmes famosos. Estes iglus estão na área da Guerra das Estrelas e são autênticos refúgios que foram utilizados em missões cientí­ficas na Antártida.

A Google é mais do que uma empresa. Os trabalhadores juntam-se na sede regularmente para atividades conjuntas e festas e não é raro encontrar grupos para praticamente qualquer atividade ou esporte, desde ciclismo até ao esqui alpino. Além dos famosos 20% do tempo de trabalho que cada um pode usar em proveito pessoal há 10% de tempo livre absoluto.

Os trabalhadores passam apenas um perí­odo de tempo na sua mesa de trabalho. É normal trabalharem com o seu laptop nas zonas de descanso, em pequenos grupos. Isso favorece a criatividade e a sociabilidade.

A biblioteca é uma das salas mais surpreendentes do edifício e a que melhores vistas tem. Uma área de descanso com uma imensa cozinha e uma chaminé ‘virtual’. Todo o mobiliário é reciclado ou vem de lojas de segunda mão.

 

E alguém ousa pensar que esses caras não trabalham com muita pressão, cobrança por resultados e prazos apertados? É o mercado de tecnologia, então é óbvio que a situação é muito mais intensa que em muitos dos mercados que trabalhamos, mas nessa organização um fato não foi esquecido: são pessoas que geram resultados. E pessoas trabalham muito melhor em condições melhores. Até quando vamos ver empresas com refeitórios separados entre diretores e povão? Até quando vamos ver vagas exclusivas para “chefes” e carros nas ruas sendo roubados para o restante da equipe da empresa? Até quando vamos ver profissionais trabalhando em salas desconfortáveis com mobiliário capenga e equipamentos do século passado? A grande realidade é que em muitas empresas do nosso mercado as condições fariam Mayo se revoltar, porque aparentemente muitos empresários ainda não aprenderam nada com Hawthorne.

Há braços!

 

Eduardo Mesquita

eduardo@ideiadiferente.com

 

 

Um dia inesquecível. Grato aos profissionais AMBEV.

.

.

.

.

.

.

.

Existem dias que valorizam a sua escolha profissional. Dias em que você realmente tem certeza de ter feito a opção acertada e se sente feliz por isso. Pois assim foi sábado, 12 de abril de 2008 para mim. Um dia que pude confirmar que minha opção pela psicologia organizacional, e mais especificamente pela área de desenvolvimento profissional, foi um tiro certeiro que determina a minha vida.

.

Sim, é isso mesmo! Isso porque nesse citado sábado eu ministrei em Caldas Novas um treinamento para uma equipe de jovens líderes da AMBEV, Filial Cebrasa, aqui próxima de Goiânia. Impressionante o nível de inteligência e raciocínio rápido desses furiozzos, e justamente por causa disso o desafio do trabalho foi potencializado enormemente. Me vi frente a frente com um time de altíssima qualidade, um amontoado de gente brilhante e divertida que fez o trabalho correr de forma agitada, vibrante e dinâmica.

.

E dias assim, que confirmam suas escolhas, deixam lembranças marcantes. Como não levar para sempre a preocupação venezuelana com a “matimática” necessária à atividade? Como esquecer de caixas de fósforo sendo conduzidas com ritmo e velocidade, com perícia e precisão, e mais ainda, com obsessão por um resultado que seria alcançado de olhos fechados? E um resultado que nunca havia sido alcançado. Mesmo que alguns oriundos do nordeste do país não acreditem e digam que eu poderia dizer isso para todos, ali naquele momento eu vi que estava fazendo algo que realmente me dá prazer.

.

Impossível esquecer uma “ceguinha” tagarela que realmente se assustou ao não ver nada. Não dá pra tirar da memória o nome criativíssimo de um dos grupos montados para uma técnica de dinâmica. Um loki que subiu nas costas e ombros do grupo para resolver uma situação que parecia sem solução, inesquecível. E também como esquecer o ambiente festivo de quinta série que esses profissionais ultra-competitivos e dedicados conseguem manter.

.

Curioso com essas lembranças? Quem viveu vai levá-las nos olhos assim como o gosto do sorriso aberto e o sabor de uma certeza. Quem esteve lá vai se lembrar, e isso é suficiente.

.

Alessandro e Rogério, muito grato por me proporcionarem esse momento inesquecível.

Maria Célia e Walquíria, não poderia ter parceiras melhores nesse dia.

.

Importante perceber que mesmo trabalhando em um ambiente de muita pressão, pois o mercado de garrafas é extremamente competitivo, essa equipe consegue conduzir suas atividades com bom humor, com leveza, com sorriso grande e olhar brilhante. Uma equipe que confirma o sucesso de uma escolha. Eu realmente devo ter feito algo de muito certo na minha carreira para ter a felicidade de um encontro desses.

.

Sucesso, lokis AMBÉVicos! Vocês merecem!

.

Há braços!

.

Eduardo Mesquita

eduardo@ideiadiferente.com

.

.

P.S. – sim, as pessoas na foto estão com os pés amarrados. Sim, em um bosque. Sim, foi difícil!

IKEA criou uma assistente virtual – merece a visita!

Essa é Ana.

.

A IKEA – marca sueca de móveis, idéias arrojadas e design ousado – criou uma assistente virtual feminina – a ANA aí da imagem – para ajudar os clientes na navegação da página. O que parece uma simples ferramenta virtual tornou-se uma atração da internet sendo divulgada de forma viral. Ao entrar em http://www.ikea.com/pt/pt  (um site português, como podes ver) você vai ver que no canto superior direito e na barra lateral esquerda em baixo existe a opção “Perguntar à Ana”. Experimente clicar lá e você terá uma janela pop-up aberta que aparece Ana. Você pode perguntar o que quiser para ela e terá respostas educadas, gentis e realmente de grande informação e orientação. Pergunte então sobre sofás, flores, decoração e ela vai responder. 

    Agora vem a parte divertida (e um pouco moleca) da experiência que o site da IKEA lhe oferece. Experimente alguma dessas perguntas atrevidas (algumas até indecentes) e veja o que ela lhe responde:

1 – Gosto de ti!

2 – Mostre os seios!

3 – Que olhos tão lindos!

4 – Feia!

5 – Amo-te!

6 – Queres fazer sexo?

7 – Vamos transar?         (a mais inteligente e gentil!)

8 – Gostas de mim?

9 – Tens namorado?

10 – Onde vives?

11 – Posso convidar-te para jantar?

12- Cheiras mal!

Altamente… Nota máxima para os criativos que programaram a pagina da Ikea!!! Uma solução simpática que contorna qualquer brincadeira ousada, obscena ou tola, de forma educada, gentil, profissional, como somente uma pessoa altamente bem treinada conseguiria fazer. Parabéns também à Ana, que nunca perde seu sorriso maroto.

Quantas vezes nossos profissionais de atendimento são expostos a comentários como os mostrados acima e não conseguem contornar e manter sua postura? Não se trata nessa hora de ser profissional, mas principalmente de não permitir que um atrevido ou sem educação consiga estragar o seu dia, seus resultados e seu prazer em sua atividade. Quando reajo no mesmo nível de uma pessoa deselegante ou grosseira eu me torno tão rasteiro quanto essa pessoa, ou mais baixo ainda. Ana pode nos ensinar algumas lições, ou nos permitir algumas risadas descompromissadas.

 

Há braços!

Eduardo Mesquita

 

Via 6 – o orkut para profissionais!

Para quem não conhece o Via6 – O Orkut para profissionais:

Site Via6 firma-se como espaço para divulgação gratuita de vagas de emprego

O Via6 – http://www.via6.com/ – site de relacionamento profissional que conecta representantes das mais diferentes áreas e conta com mais de 60 mil usuários e 15 mil empresas cadastradas, disponibiliza diariamente centenas de vagas de emprego de forma gratuita. A maioria das vagas é postada diretamente por empresas e usuários cadastrados no site.

Já existem no Via6 mais de 40 comunidades que têm justamente o objetivo de promover a aproximação entre empregados e recrutadores em todo o Brasil. As comunidades “Vagas de Empregos e Currículos”, “Procurando Emprego”, “Vagas Diárias de Emprego”, “Vagas e Talentos” e “Emprego Fácil” estão entre as mais populares e juntas somam mais de 8 mil membros.

Há também comunidades focadas em uma área específica – como a “Vagas de TI” ou a “Estágios e Empregos em Direito” – e ainda aquelas voltadas a profissionais de uma determinada localidade, como a “Vagas BH” ou a “Profissionais de RH – São Paulo”.

Para o usuário do Via6 e moderador da comunidade “Vagas, Oportunidades e Empregos”, Henrique Bittencourt, um dos fatores que favorecem o encontro entre empregados e recrutadores é a facilidade e rapidez com que as informações podem ser trocadas. “O Via6 traz os dados mais importantes acerca do profissional de forma condensada e objetiva. Para quem busca se recolocar no mercado, o site funciona como um verdadeiro outdoor. E o melhor: esta é apenas uma das facetas do Via6, uma vez que a pessoa também aumenta seu networking, avalia as tendências do mercado e troca experiências com outros profissionais.”

De acordo com o diretor de Marketing do Via6, Diego Monteiro, as comunidades cujo objetivo é a divulgação de vagas de emprego foram crescendo gradativamente no site, firmando-se como um espaço democrático para aproximar empresas dispostas a contratar e usuários em busca de trabalho.

Cada vez mais as pessoas estão percebendo a importância da Internet como ferramenta de networking. As comunidades voltadas à divulgação de vagas, além de favorecerem a troca de experiência entre os usuários, oferecem uma oportunidade real de recolocação no mercado de trabalho”, destaca Monteiro. Na página inicial do Via6, há uma série de depoimentos de usuários que conseguiram oportunidades profissionais graças ao networking promovido nas comunidades do site.

Sobre o Via6 – Criado em 2005, o Via6 é um site de relacionamento profissional que conecta representantes das mais diferentes áreas. Seu principal objetivo é permitir aos participantes a ampliação de seu networking e a troca de conhecimento e experiências, culminando na conquista de novos clientes, fornecedores ou parceiros. O site é complementado pelo Rec6 e pelo blog Via6 (http://blog.via6.com), onde os usuários têm acesso a notícias atualizadas das comunidades e dicas de networking.

Fonte: Assessoria Via6

Mas a solução errada pode te levar para o lugar errado.

No post anterior comentei que muitas vezes a solução pode estar dentro de casa. E reforço isso ainda mais, porque na busca por soluções algumas empresas se perdem e “encalham” com problemas maiores do que tinham antes de tentar resolvê-los.

E digo isso porque o mercado de consultoria, especialmente quando falamos de gestão e administração empresarial, é um mercado repleto de curiosos, aventureiros, charlatães e picaretas, verdadeiros bandidos que se aproveitam da necessidade e – porque não dizer? – do desespero de alguns empresários para se locupletarem. Isso sem falar na imensidade de modismos que esta área possui.

Outro dia conversava com Ronaldo Guedes, consultor em finanças estratégicas e parceiro da IDEA, e ele me apontou esse fato: a quantidade de modismos. Já vivemos épocas de deslumbramento com empowerment, com reengenharia (e Ronaldo me lembrou que o autor do livro base sobre reengenharia depois escreveu outro se desculpando pela lambança), com programas de qualidade, com ISOs, com montes de “S” e mais uma infinidade de soluções que podem ser eficazes para algumas empresas, mas certamente não são para todas as empresas.

Cada organização possui suas particularidades, portanto o rigor de um sistema de qualidade pode ser eficaz em um perfil de empresa, enquanto em outro já será mais útil um ambiente de criatividade extrema “tompeteriano”, enquanto em um terceiro qualquer palestra motivacional pode gerar resultados fantásticos.

Digo isso porque existe um preconceito grande no mercado com relação à palestras motivacionais. Concordo que uma hora de palestra não muda a vida de ninguém, ou ao menos não muda a vida da maioria das pessoas. Pode gerar uma marola, uma empolgação, mas daí a gerar uma revolução pessoal, isso vai depender de muitas variáveis além da simples palestra.

Já tive oportunidade de ouvir comentários elogiosos sobre alguma palestra minha, e algumas dessas oportunidades pessoas relataram que algo que eu disse ou fiz gerou uma mudança grande em suas vidas. Isso é fantástico, não tenha dúvida, mas não é a regra. Não é o padrão. Uma palestra motivacional tem seu papel e sua importância em um evento, em um momento  específico (como final de ano, por exemplo), mas não pode ser a ferramenta para arrancar a equipe de uma posição e levá-la a outra. Isso porque uma hora de palestra, por melhor que ela seja, é muito pouco. Não se tem tempo para criar um vínculo forte com a equipe, gerar confiança (indispensável nessa situação) e mobilizar as pessoas de uma forma genérica, ainda que específica em cada situação. Complicado, não?

O fato é que por causa de um mercado gigantesco, em excesso de demanda e com poucas exigências, muitos canastrões aparecem com soluções mágicas para as empresas. Repito, uma palestra provoca alguma mudança, mas um plano de treinamento alinhado com o planejamento estratégico e os valores da empresa geram revoluções e processos de revoluções.

Recebi um jornalzinho no sinaleiro (semáforo, para quem não for de Goiânia) outro dia desses. O nome do jornal já era empolgadinho, e não vou mencioná-lo aqui por uma questão ética. Sim, eu discordo veementemente do que o jornalzinho se propunha fazer, repudio o autor e assunto principal do jornalzinho, mas essas são minhas opiniões. Não posso simplesmente execrar o sujeito (um picareta, na minha opinião) porque não concordo com o que ele faz.

O tal jornaleco realmente é uma boa idéia de divulgação, levando imagens e idéias de uma forma atraente. Poderia ser melhor produzido, algumas falhas de digitação e erros de português, mas isso não tira o mérito da idéia. Porém o problema reside não na forma, mas no conteúdo. O jornalito é material de divulgação de um dito “consultor” que viaja pelo país levando suas palestras e se arvorando o mérito de mudar a vida das pessoas.

Como diriam os antigos “quem tem boca fala o que quer”, mas não precisamos ouvir qualquer baboseira surgida. A principal palestra que o jornalitcho divulga, o produto principal do sujeito, já mostra o tamanho do absurdo da proposta ali mostrada. O nome da palestra é “Curso de comunicação e palestrante: aprenda a falar em público e a influenciar pessoas”.

Até aí temos apenas um nome pomposo. Um curso de comunicação em público que ensine as pessoas a falar melhor em público é um produto interessante, muitas pessoas se interessam em fazê-lo. Quanto a isso o cidadão não incorre em nenhum absurdo, e nem quando mistura seu tema com o nome de um dos livros mais publicados da humanidade, de autoria de Dale Carnegie “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

Mas como se fosse pouco esse samba do afro-descendente com transtornos mentais, vejam o conteúdo da palestra do homem:

  • Motivação
  • Use a mente a seu favor
  • Perca o medo e a timidez
  • Monte um projeto de vida
  • Melhore e potencialize sua comunicação na empresa, faculdade ou família
  • Monte seu próprio negócio
  • Aumente as vendas
  • Telemarketing.

Então vejam, o curso não é bom, É FANTÁSTICO!! Ele ensina tudo que existe para se aprender. Impressionante, não? Mas a apresentação do curso continua com as maravilhas: “… aprendemos também a ter um melhor relacionamento conosco e com isso emagrecemos, vivemos mais, somos mais criativos e melhoramos nossas vidas em todos os aspectos”. Todos!! Emagrecer, viver mais, ser criativo, só faltou a promessa das 600 virgens nos esperando no paraíso, e todos iríamos nos imolar nesse curso divino.

Eu já estava enojado, ou melhor, impressionado com a coragem, mas o jornaleco trazia mais. Numa parte em que se apresentavam CD´s do sujeito para comercialização, um deles chamado “CD de relacionamento” promete “resolver todos os problemas de relacionamento”. TODOS! Leitores e amigos, em um CD todo o segredo da existência se encontra ao nosso alcance.

Em uma coluna do jornal (jornal?) a manchete convida “Quem é NONONONO? Conheça mais sobre ele” e discorre sobre esse enviado dos céus por cinco linhas, passando para uma apresentação de meia página sobre cursos, palestras, livros e CDs que o iluminado vende.

Por favor, soluções erradas são piores que nenhuma solução. Se você possui algum problema na sua empresa e não atua para corrigi-lo esse problema pode crescer e gerar mais prejuízos, mas contratar serviços inadequados certamente vão gerar problemas enormes e muitas vezes incorrigíveis.

Você é o capitão? Então cuidado a quem você pede orientação. O aventureiro sai do seu barco e vai tentar afundar o próximo, e você? Lembre-se que o capitão afunda com o navio.

 

Há braços!

 

Eduardo Mesquita

A solução pode estar bem perto

ideiasd.bmpMuitas vezes, na consultoria, somos consultados sobre dúvidas ou preocupações que os empresários possuem nas suas operações. Segundo definições “dicionarescas”, consultor é aquele que dá conselhos, portanto nada mais adequado que tirar suas dúvidas com um profissional dessa área.

Acontece que algumas dúvidas que surgem mostram que o que o empresário menos precisa naquele momento é a atividade de uma consultoria. Pode parecer estranho, mas muitas vezes o conselho que damos ao empresário é não nos contratar, porque algumas situações podem ser resolvidas “dentro de casa”, com equipe própria e um pouco de esforço concentrado de todos.

A consultoria é um recurso valiosíssimo, importante e que gera resultados, isso tudo é inquestionável. Mas não pode ser um recurso usado por modismo ou porque o empresário acha “chique”. O custo envolvido não se aplica unicamente aos valores monetários e financeiros do processo, mas também ao fato de se colocar um especialista dentro de sua casa, o que pode mobilizar a equipe de uma forma equivocada. Em alguns casos, contratar uma consultoria é usar uma bazuca para machucar uma mosca.

Então, quando pensar em contratar um especialista, valorize aquele que te orienta, te auxilia e que não condiciona isso à pagamentos prévios ou promissórias assinadas, porque o bom profissional de consultoria sabe que o bem mais precioso que temos nesse mercado é nossa reputação e a indicação de clientes satisfeitos. Clientes que podem se sentir satisfeitos com um conselho simples de valorização do que já existe na empresa.

Então antes de contratar terceirizados, olhe em volta. A solução pode estar bem perto.

 

Há braços!

Eduardo Mesquita

Top of Mind 2007

idea_logomarca.jpgMarcas que estão na mente do consumidor

Fonte: Datafolha

Aparelho de DVD: LG

Aparelho de TV: LG

Telefone celular: Motorola

Banco: Itaú e Bradesco

Câmera digital: Sony

Carro: Volkswagen e Fiat

Cartão de crédito: Visa

Cerveja: Skol

Computador e acessório de internet: LG

Empresa aérea: Gol

Farmácia: Ultrafarma

Geladeira: Brastemp

Lanchonete: McDonalds

Langerie: De Millus

Loja on-line: Submarino e Americanas

Material esportivo: Nike

Operadora celular: Vivo

Operadora de TV paga: NET

Produto de beleza: Natura

Refrigerante: Coca-Cola

Serviço Público: Receita Federal

Curioso, não? O mais interessante é que ao lado de marcas que são a última COCA COLA do deserto e outras que são, assim, umas BRASTEMP, temos a praticamente novata LG. Quem se lembra dessa marca 10 anos atrás? Onde foram parar Philco, Philips, Dell, IBM e tantas outras marcas muito mais antigas (e velhuscas, porque não dizer?) que a LG.

E você? Sua marca está consolidada na mente de seus clientes e consumidores?

Há braços!

Treinamento para todos! Ao alcance de todos!

treinamento.jpgOntem conversava com uma aluna na faculdade, proprietária de um supermercado (que ela chama carinhosamente de “meu armazém”) e percebi uma impressão que não se fazia presente desde muito tempo atrás: a idéia de que treinamento profissional é caro ou que não é para qualquer e toda empresa.

.

Ela dizia que por ter uma equipe pequena (05 profissionais) o treinamento podia ser uma atividade onerosa e fora do alcance da organização dela e de outras do mesmo porte. Ponderando sobre os valores investidos (aluguel de equipamento, espaço, consultor, etc.) tive que concordar com ela que o valor ficaria elevado, e não entramos no mérito dos resultados que seriam alcançados com a capacitação de sua equipe, porque esse retorno nem sempre é devidamente mensurado e pode demorar mais do que o empresário deseja ou precise.

.

Mas no decorrer de nossa prosa pude mostrar-lhe que o treinamento é uma ferramenta indispensável e que está ao alcance de todos. Inicialmente porque o treinamento não precisa necessariamente de um projetor multimídia, um consultor e uma sala confortável; isso porque o treinamento pode (e deve) ser feito diariamente, cotidianamente, nos postos de trabalho, nas funções, através de coaching, acompanhamento e rotação de funções. Mas principalmente porque vivemos épocas de networkings e parcerias, então a grande idéia é unir pequenas empresas e montar planos de treinamento generalistas com acompanhamentos específicos, o que reduz o custo, potencializa o resultado e oxigena a equipe.

.

Específicos e generalistas? Eu explico, em uma turma de 30 pessoas, por exemplo, podemos ter cinco profissionais de um supermercado, dois de um açougue, três de uma loja de calçados, oito de uma loja de moda jovem e assim sucessivamente até compormos uma equipe heterogênea e rica. Essa composição diversificada vai permitir que se abordem temas como técnicas de vendas, liderança, comunicação, relacionamento interpessoal, trabalho de equipe e muitos outros sem verticalizar demais nos conteúdos, sendo assim generalista. Mas junto ao plano de treinamento pode ser desenvolvido um plano de visitas técnicas ou reuniões de consultoria em que o consultor/palestrante iria descer às minúcias de cada negócio no local em que as coisas acontecem e as equipes estão diariamente. Assim durante as “aulas” teríamos discussões abrangentes e muita informação diversificada e até mesmo divergente (e pensamento divergente é riquíssimo!), e durante as visitas técnicas teríamos a discussão da aplicação prática daqueles conceitos no cotidiano da empresa.

.

E isso tudo com um custo baixíssimo no valor de investimento e os resultados ainda mais potencializados. Ou seja, treinamento  para todos!! Ao alcance de todos!

.